Segunda-feira, 26 de Maio de 2008

Presa...

atada.jpg 

 

 

 

Tenho os olhos vendados!

 

As mãos afastadas e atadas! Os pés afastados e atados!

 

A saia está arregaçada as meias á mostra! A blusa amarrotada e meia aberta, deixando ver o soutien!

 

Tenho o cabelo em desalinho, uma parte espalhada na almofada e a outra colada na cara, agarrada ao suor do meu rosto!

 

Não há música! Ouço os teus passos descalços, sinto os teus olhos postos em mim, sinto o cheiro do teu perfume, sinto-te mexer à minha volta mas não sei o que fazes!

 

Sentas-te na borda da cama, continuas em silêncio! Alguma coisa tilinta junto ao meu ouvido! Metes-me o dedo entre pernas, bem fundo e retiras tão bruscamente como o meteste!

 

O tilintar continua bem perto do meu ouvido, parecem correntes mas por outro lado não... Agarras-me pelo cabelo e obrigas-me a sentar!

 

Amarrada como estou é difícil e até um pouco doloroso!

 

Faço um aiii. Pelo modo brusco com que me puxaste o cabelo sei que não gostaste, tu gostas do meu silêncio!

 

Fico sentada e em desequilibro, pois as pernas estão presas a um ferro o que não me permite fecha-las, sinto a tua mão na virilha e sem cerimónias rasgas-me as cuecas!

 

Dou um gemido baixo e rouco pois a renda cortou-me a pele! Tu sentes e baixas-te para me beijar na zona dorida, beijas e chupas e andas com a língua á roda do meu clítoris mas sem lhe tocar...

 

De imediato esqueço a dor e fico húmida, húmida como só tu me sabes pôr!

 

De repente desapareces, sinto-te os passos a afastarem-se, o que terás ido fazer?

 

A espera parece eterna e embora saiba que não estas por perto não me atrevo a mudar de posição! Voltas, sentas-me melhor na cama mas prendes o meu cabelo com fitas às correntes que pendem do tecto.

 

Rasgas-me a blusa e o teu pénis vai-se metendo na minha boca e peito, com a outra mão penetras-me com algo frio, muito frio e grosso!

 

Páras sempre que me sentes excitada, não sei com o quê me penetras, que me lembre não tenho nada cá em casa que provoque tal sensação... É desconfortável mas bom ao mesmo tempo, não sei o que é e acho que nem vou querer saber!

 

Sinto-te descer sempre com a língua a tocar o meu corpo, desces, desces e paras na zona da minha barriga e lambes como se fosses um animal!

 

Desces até chegares ao meu clítoris e começas por andar com a língua de roda devagar, com as mãos afastas os lábios e metes dois dedos da vagina e outro no cú e começas a sugar o clítoris com tanta sofreguidão que quase mo arrancas, mordiscas e chupas e lambes para cima e para baixo com força e meiguice!

 

Quando me estou quase a vir quero fechar as pernas, tu sabes bem disso, daí o ferro! Fico doida de tesão por não poder fecha-las! As pernas tremem-me!

 

Quero agarrar-te e esgadanhar-te e não posso as mãos também estão presas! Sinto os teus olhos postos em mim, aposto que sorris! Quero morder-te e não posso os cabelos amarrados não me permitem grandes movimentos!

 

Tu sabes disso, meu cabrão, conheces-me tão bem!! Sabes que não sou de grandes orgasmos mas que estes são os melhores!

 

Quando me começo a vir, toda eu tremo, a minha cara contorce-se em esgares que talvez não sejam bonitos, mas que são de puro animal em tesão! Tremo, as pernas ficam tão hirtas que até fico com cãibras, o meu cheiro a Mulher, a sexo invade o ar do quarto e cola-se a ti! Venho-me uma vez e peço-te por tudo que pares, não é isso eu não quero que pares mas sim que me soltes!

 

E tu meu animal, fazes de conta que não é nada contigo e continuas até eu ter mais dois, três, quatro orgasmos e estar completamente descontrolada, descontrolada a ponto de te matar! Descontrolada de fúria e prazer, de ódio e paixão, de te bater e foder!

 

Soltas-me finalmente e assim que me vejo livre a primeira coisa que faço é mandar-te deitar!

 

Obedeces, sorridente, com ar de filho da puta! Ainda por cima tens a lata de sorrires na minha cara!

 

Ato-te as mão e os pés! Sento-me em cima de ti e de violador passas a violado!

 

Fodeste-me! Agora fodo-te Eu!

 

Não, meu lindo, não me tocas! Isso querido, bem enterrado, bem fundo!

 

Agora espera que vou só acender a vela!

 

 

Não, Beleza, não te vou cantar os parabéns....

 

 

 

 

 

Cicuta Doce


publicado por Cicuta às 18:12
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
|
Quinta-feira, 15 de Maio de 2008

Muito mais do que Mil e Uma Noites...

foto retirada da net não tinha  identificação do autor.

 

 

E uma noite ela aceitou....

 

A lua no alto céu negro banhava-se por todo o rio e os lindíssimos telhados lisboetas. As casas antigas estavam com as janelas e varandas abertas para deixar entrar a noite.

 

 

Beberam um copo na esplanada e sem grandes falas desceram a escadaria que os levou por ruelas estreitas, casa velhas, roupa estendida no varal, sons de vozes e televisão saía pelas pequenas janelas nas portas de madeira velha.

 

Floreiras pendiam de algumas delas, as garbosas e contudo modestas sardinheiras davam um ar multicolor às velhas casas.

 

Por vezes encontravam um velhote de tez curtida pelo sol que sentado na soleira da porta fumava o seu cigarro.

 

Entraram  na casa perdida no meio de tantas outras naquele bairro. Beberam um vinho tinto ao som de uma música da qual ela não se lembra.

 

Ele tocou-a com cuidado, quando não se conhece o bicho, devemos ir com cautela...

 

Ela deixou e deixou… Voaram as roupas, os papeis com poemas na parede, a música tocava.

 

Música, qual música?!

 

O que se ouvia era melódico mas não era música com toda a certeza....

 

Eles voaram num Mundo só deles, com cheiros e sabores dignos de um Gourmet, serviram-se das mais delicadas iguarias, tudo sem pressa, sem tempo. 

  

Sim, porque até o Tempo parecia ter parado só para eles....

 

E dormiram, dormiram aquela noite e muitas outras...

 

Dormiram muito mais que as Mil e Uma Noites...

 

Contaram muito mais de Mil e Uma Estórias...

 

Descobriram-se durante muito mais que Mil e Uma carícias, olhares...

 

foto retirada da net não tinha  identificação do autor.

 

 

Trocaram Mil e Um cheiros, gostos, cores....

 

Discutiram muito menos que Cento e uma Noites

 

Riram-se muito, mas muito mais que Mil e mil noites e dias....

 

Não, ela não era a Sherazade nem ele o Sultão que se aborrecia com tudo.

 

Não, não foi milagre de 13 de Maio pois já era 14 quase 15....

 

Foi apenas mais uma noite de luar que começou como tantas outras e terminou como muitas mais… Apenas esta teve continuação por Muito mais do que Mil e Uma Noites….

 

 

Mil beijos com cheiro de violetas por todo o ti meu Amante

 

 

Foto oferecida por um querido Bloguista que infelizmente já não escreve.

 

 

 

 

 

 

 

Beijo Doce


publicado por Cicuta às 19:12
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Domingo, 4 de Maio de 2008

O roupeiro...

 

 

Abri as portas do roupeiro, sentei-me na cama a olhar para lá.

 

A visão ficou turva e só via cores milhares de cores e no fundo o mar… Consegui sentir o cheiro das algas, ouvir o barulho das gaivotas, sentir a brisa...

 

Visualizei cada vestido, cada recordação.

 

O azul noite levou-me ao nosso 1º encontro, ao cheiro das velas, da rua, ao sabor do vinho e do teu beijo…

 

O verde água levou-me a uma festa em que dançámos toda a noite e nos esquecemos da hora de fechar… Levou-me ao sentir fora de mim, fora do meu corpo…

 

O preto e branco levou-me até casa dos teus pais, até a uma família, ao cheiro da cozinha caseira, da gargalhada fácil, até ao teu Mundo…

 

O rosa levou-me até ao passeio no parque, o molhar os pés no lago o meu sorrir perante a tua admiração pelo meu receio dos pássaros…

 

O vermelho levou-me até um jantar que não tivemos, por um desejo incontrolável, que terminou com  uma piza na cama…

 

O cai-cai branco com bolinhas levou-me até um fazer-amor diferente...

 

As calças de ganga levaram-me até à praia, ao cantinho escondido no pinhal, ao caminho por lajes, ao café para comprar choco frito e levar…

 

O que tu te riste de mim…

 

- “Ninguém compra choco frito para levar para a praia!” Dizias tu.

 

Todos os meus vestidos, roupa têm uma estória contigo…

 

Nunca pensamos nisso mas a nossa roupa acompanha-nos nas nossas aventuras!

 

Ahhhhhhhhhhhhhhhhh  e também me lembro de todas as ocasiões onde mos despiste!

 

O azul noite levou-me ao teu beijo, ao passar das tuas mãos pelo meu corpo…

 

O verde água levou-me ao barulho do fecho quando o abriste, ao deslizar do forro pelo meu corpo, ao teu olhar…

 

O preto e branco levou-me até uma mesa de família, e o teu roçar de pé, a tua mão a subir pelas minhas coxas, enfim ao nosso jantar de família

 

O rosa levou-me ao beijo roubado no parque das crianças, ao teu atirar de água para o vestido, ás minhas formas coladas no tecido rosa…

 

O vermelho levou-me aquela noite em que me beijaste,  rasgaste-o e despiste-mo como se o mundo fosse terminar ali, a uma noite de sexo tão rubro como a cor do vestido…

 

Aos teus beijos pelo meu corpo, ao passar da tua língua por mim… Ao gelo que me passaste no corpo, ao gelo com que nos amámos…

 

O cai-cai branco com bolinhas  levou-me até uma noite em casa, com champanhe, lenços de seda e muito splash de água pelo corpo....

 

As calças de ganga…Essas têm tanto que contar que ficará para outro dia….

 

 

Adormeci sorridente e molhada perante um simples armário…….

 

 

 

 

 

Cicuta

 

 

 

 Ps: Homens nunca se esqueçam do que a vossa Mulher vestia...Pode ser o caminho para uma tesão...

 

 

Estavas sexy com a ganga e o cabedal... Foi bom sentir-te...

 

 

E que lindo ficas com blazer e calça cinzenta... Ai... Até me esqueci que eras uma pessoa fina... já mandaste limpar as calças?!

 

 

Beijos no roupeiro... É bem divertido!

 

 

 

 

 

 

 Cicuta

 

 

 


publicado por Cicuta às 19:53
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 3 de Maio de 2008

Tão distante e tão perto...

Estás longe, um pouco longe...

 

Mas sem que saibas estamos mais juntos que nunca.

 

Tu, distante não vês as minhas imperfeições, a minha gordura, a minha vergonha...

 

Tu, distante voltas a ser o meu Amante, que quando passa as mãos tem um corpo bonito, com curvas...

 

Tu, distante, voltámos a ser novamente um só, um orgasmo só!

 

Adoro-te mais ainda por estares distante, por não veres a minha degradação.

 

Não que fosses critico no assunto, sempre tiveste uma palavra de conforto como:

 

- "Gata, tu não és gorda, está provisoriamente gorducha...."

 

Por muito que não pareça muita Mulher gostaria de ouvir isso.

 

Eu gostava, embora não demonstrasse.

 

Por ti e para Ti o "azul" hoje não tem parado...

 

O teu perfume na almofada...

 

E com a minha imaginação o teu "eu" dentro de mim!

 

Beijos de Amante, muito amante, puta , mulher tudo!

 

 

 

Cicuta

 

 

 


publicado por Cicuta às 22:27
link do post | comentar | favorito
|

Mudança

Mudei hoje para a nova plataforma e por enquanto só vou alterer o blog, dar-lhe outra cara!!

 

Obrigada


publicado por Cicuta às 16:25
link do post | comentar | favorito
|

*mais sobre mim


* ver perfil

* seguir perfil

. 5 seguidores

*pesquisar

 

*tradutor / tranlater

*posts recentes

* A noite

* Depois dos 50...

* A melodia do desejo…

* Lingerie para Sereias & n...

* Asfixia

* Oração das Mulheres Resol...

* Eternos

* O Primeiro Amor

* Voltar a trás...

* Sonhos?!

*arquivos

* Agosto 2013

* Maio 2011

* Abril 2011

* Agosto 2010

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2006

* Março 2006

* Fevereiro 2006

* Janeiro 2006

* Dezembro 2005

* Novembro 2005

* Outubro 2005

* Setembro 2005

* Agosto 2005

* Julho 2005

* Junho 2005

* Maio 2005

* Abril 2005

* Março 2005

* Fevereiro 2005

*tags

* todas as tags

*favoritos

* nem cornos, nem sacanas

*links

* Martini in the Morning

*Envenenados:


Contador Grátis

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.
SAPO Blogs

*subscrever feeds