Quarta-feira, 20 de Abril de 2011

Asfixia

 

 

imagem: retirada da net

 

 

 

 

O quarto era grande e nu!

 

 

 

As paredes lisas e escuras, iluminadas por velas, milhares de velas!

 

 

Panos caiam do tecto, longos e esvoaçantes pelo mesmo vento que fazia treme-luzir as velas!

 

 

A cama no centro estava coberta de veludo negro!

 

 

Eles estavam nus com écharpes encarnadas em roda do pescoço!

 

 

Beberam o suficiente para se entregarem naquela aventura!

 

 

Podia ser a última!

 

 

Encaixaram-se um no outro, o sexo dele penetrou o dela!

 

 

Começaram-se a mover e cada um pegou o controle da fita do outro, o tecido encarnado enrolava-se nos mãos de um e de outro como se de serpentes se tratasse, os espaço entre eles diminuía....

 

 

 

Ele apertava a dela!

 

 

Ela apertava a dele!

 

 

Conforme o orgasmo se ia aproximando eles apertavam mais, e mais a tentar controlar o orgasmo simultâneo mas a tentar domar  a falta de ar que se vinha apoderando deles...

 

 

E com ela o prazer!

 

 

Eles puxaram, até os rostos ficarem diferentes, os olhos abriram-se mais, as bocas fizeram um esgar...

 

 

 

Eles vieram-se, eles viram-se com outros olhos, eles viram o medo e sentiram o prazer... Largaram as fitas, gemeram e sugaram o ar em volta como se aquele fosse o único oxigénio do Mundo, os seus corpos transpirados, palpitavam, beijaram-se, morderam-se, arranharam-se, mais uma vez foram um único Ser....

 

 

Mais uma vez eles pararam a tempo!

 

 

Eles gozaram muito!!!!

 

 

No Amor e no Prazer vale TUDO!

 

 

Mas este jogo é um jogo perigoso, nem sempre se ganha e eles sabem disso...

 

 

 

 

 

 

 

 imagem: retirada da net

 

 

 

Beijo doce

 

Cicuta


publicado por Cicuta às 18:13
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 11 de Abril de 2011

Oração das Mulheres Resolvidas

imagem: retirada da net

 

 

"Que o mar vire cerveja e os homens aperitivo,
que a fonte nunca seque,
e que a nossa sogra nunca se chame Esperança,
porque Esperança é a última que morre...


Que os nossos homens nunca morram viúvos,
e que os nossos filhos tenham pais ricos e mães gostosas!
 

Que Deus abençoe os homens bonitos,
e os feios se tiver tempo...

 

Deus...
Eu vos peço sabedoria para entender um homem,
amor para perdoá-lo e paciência pelos seus actos,
porque Deus,
se eu pedir força,
eu bato-lhe até matá-lo.

Um brinde...
Aos que temos, aos que tivemos e aos que teremos.
 
Um brinde também aos namorados que nos conquistaram,
aos trouxas que nos perderam,
e aos sortudos que ainda vão conhecer-nos!

 

Que sempre sobre,
que nunca nos falte,
e que a gente dê conta de todos!
Amén.

 

P.S.: Os homens são como um bom vinho: todos começam como uvas e é dever da mulher pisá-los e mantê-los no escuro até que amadureçam e se tornem uma boa companhia para o jantar."

 

 

Júlio Machado Vaz

 

 

imagem: retirada da net


publicado por Cicuta às 20:59
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 3 de Abril de 2011

Eternos

 

 

As lágrimas rolavam-lhe pelo rosto e pelo peito, caíndo-lhe no regaço, ela chorava sem parar, sentada na ponta da cama onde jazia o corpo sem vida do seu homem, do seu amante.

 

A luz tremula do candeeiro de petróleo iluminava o pequeno quarto, dando-lhe um tom mais amarelado do que aquele que já tinha, a um canto a bacia e balde, com o jarro de esmalte, ainda tinham a água ensanguentada, os trapos molhados e tingidos de vermelho espalhavam-se pelo chão, em outro canto, mais afastado estavam as roupas deles, a camisa branca dele, a saia dela, o corpete, as botas, os botins, e a mesa com a bebida, os copos as flores, nesse canto, ainda parecia haver só felicidade, só Vida!

 

Com as mão a tremer ela agarrou as mão do amante, agora morto, e como que se fosse atigida por um raio, o seu corpo estremeceu e o quarto iluminou-se, ficou branco cheio de flores, ela deitada na cama e ele co muito cuidado ia-lhe desapertando o espartilho enquanto a beijava, o vinho barato passara a champanhe,, o lençois eram do mais fino linho...

 

Foram-se despindo mutuamente, com toda a calma do mundo, entre beijos e goles de champanhe, delicadamente sorvido de entre os seios dela, os abdominais dele, de tantos outros locais de onde se pode sorver champanhe no corpo de um amante.....

 

Delicadamente ele virou-a, beijou-lhe a nuca, segurou-lhe os longos cabelos e curvou-se sobre ela. penetrou-a, primeiro docemente, mas conforme o arfar dela foi mais fundo, o cabelo escorregava nas mãos traspiradas, os dois corpos transpirados, molhavam aquele linho fino.... Subitamente, ela mexeu-se e virou-o, agora liderava ela!

 

Ela olhava gulosa para aqueles abdominais bem definidos, fincou-lhe as mãos nas nádegas, e estavam tão sincronizados no balançar, que pareciam remadores das Galés...

 

Mas ele voltou a deitá-la de costas e colocou-se sob ela, pegou-lhe nas pernas, encostou-as no peito dele, as costas delas foram-se elevando da cama, lentamente, primeiro o rabo, depois as ancas, as costas de seguida e o ritmo não parava, antes pelo contrário aumentava...

 

Todo o quarto cheirava a eles, a alfazema dos lençóis, a flores mas principalmente a sexo... A cama batia na parede desesperadamente, caía caliça do tecto, os vizinhos batiam com as vassouras, no tecto ou no chão, na porta, mas nada, mesmo nada poderia impedir o que se passava naquele quarto!

 

Ele olhou nos olhos dela e ele nos dele, não falaram, pois não precisavam falar, o orgasmo falou por eles, o corpo dela estremeceu, não uma, não duas, mas milhentas vezes, como se fosse a última vez....

 

Quando abriram a porta do quarto 8 a Polícia entrou e ficou parada em frente à cama, tinham finalmente atendido ao pedido da D. Miquelina, a dona da pensão, para passearem por lá.

 

O quarto estava vazio, não tinha nada, nada mesmo!

 

Miquelina olha em volta, com cara de parva, a Polícia estava danada, pois achava que ela esta a gozar com eles, foram saindo do quarto, com Miquelina a olhar para trás sem saber o que dizer, pela 1ª vez na vida dela....

 

 

Quando o Amor é muito, pode ser eterno e quando dois Seres nasceram para serem Um Só, partirão como sendo Um Só, existem Amantes que são Eternos...

 

 

imagens: retiradas da internet não sei o autor

 

 

 

 

Beijo Doce

 

Cicuta

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


publicado por Cicuta às 17:15
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

*mais sobre mim


* ver perfil

* seguir perfil

. 5 seguidores

*pesquisar

 

*tradutor / tranlater

*posts recentes

* A noite

* Depois dos 50...

* A melodia do desejo…

* Lingerie para Sereias & n...

* Asfixia

* Oração das Mulheres Resol...

* Eternos

* O Primeiro Amor

* Voltar a trás...

* Sonhos?!

*arquivos

* Agosto 2013

* Maio 2011

* Abril 2011

* Agosto 2010

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2006

* Março 2006

* Fevereiro 2006

* Janeiro 2006

* Dezembro 2005

* Novembro 2005

* Outubro 2005

* Setembro 2005

* Agosto 2005

* Julho 2005

* Junho 2005

* Maio 2005

* Abril 2005

* Março 2005

* Fevereiro 2005

*tags

* todas as tags

*favoritos

* nem cornos, nem sacanas

*links

* Martini in the Morning

*Envenenados:


Contador Grátis

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.
SAPO Blogs

*subscrever feeds