Segunda-feira, 26 de Maio de 2008

Presa...

atada.jpg 

 

 

 

Tenho os olhos vendados!

 

As mãos afastadas e atadas! Os pés afastados e atados!

 

A saia está arregaçada as meias á mostra! A blusa amarrotada e meia aberta, deixando ver o soutien!

 

Tenho o cabelo em desalinho, uma parte espalhada na almofada e a outra colada na cara, agarrada ao suor do meu rosto!

 

Não há música! Ouço os teus passos descalços, sinto os teus olhos postos em mim, sinto o cheiro do teu perfume, sinto-te mexer à minha volta mas não sei o que fazes!

 

Sentas-te na borda da cama, continuas em silêncio! Alguma coisa tilinta junto ao meu ouvido! Metes-me o dedo entre pernas, bem fundo e retiras tão bruscamente como o meteste!

 

O tilintar continua bem perto do meu ouvido, parecem correntes mas por outro lado não... Agarras-me pelo cabelo e obrigas-me a sentar!

 

Amarrada como estou é difícil e até um pouco doloroso!

 

Faço um aiii. Pelo modo brusco com que me puxaste o cabelo sei que não gostaste, tu gostas do meu silêncio!

 

Fico sentada e em desequilibro, pois as pernas estão presas a um ferro o que não me permite fecha-las, sinto a tua mão na virilha e sem cerimónias rasgas-me as cuecas!

 

Dou um gemido baixo e rouco pois a renda cortou-me a pele! Tu sentes e baixas-te para me beijar na zona dorida, beijas e chupas e andas com a língua á roda do meu clítoris mas sem lhe tocar...

 

De imediato esqueço a dor e fico húmida, húmida como só tu me sabes pôr!

 

De repente desapareces, sinto-te os passos a afastarem-se, o que terás ido fazer?

 

A espera parece eterna e embora saiba que não estas por perto não me atrevo a mudar de posição! Voltas, sentas-me melhor na cama mas prendes o meu cabelo com fitas às correntes que pendem do tecto.

 

Rasgas-me a blusa e o teu pénis vai-se metendo na minha boca e peito, com a outra mão penetras-me com algo frio, muito frio e grosso!

 

Páras sempre que me sentes excitada, não sei com o quê me penetras, que me lembre não tenho nada cá em casa que provoque tal sensação... É desconfortável mas bom ao mesmo tempo, não sei o que é e acho que nem vou querer saber!

 

Sinto-te descer sempre com a língua a tocar o meu corpo, desces, desces e paras na zona da minha barriga e lambes como se fosses um animal!

 

Desces até chegares ao meu clítoris e começas por andar com a língua de roda devagar, com as mãos afastas os lábios e metes dois dedos da vagina e outro no cú e começas a sugar o clítoris com tanta sofreguidão que quase mo arrancas, mordiscas e chupas e lambes para cima e para baixo com força e meiguice!

 

Quando me estou quase a vir quero fechar as pernas, tu sabes bem disso, daí o ferro! Fico doida de tesão por não poder fecha-las! As pernas tremem-me!

 

Quero agarrar-te e esgadanhar-te e não posso as mãos também estão presas! Sinto os teus olhos postos em mim, aposto que sorris! Quero morder-te e não posso os cabelos amarrados não me permitem grandes movimentos!

 

Tu sabes disso, meu cabrão, conheces-me tão bem!! Sabes que não sou de grandes orgasmos mas que estes são os melhores!

 

Quando me começo a vir, toda eu tremo, a minha cara contorce-se em esgares que talvez não sejam bonitos, mas que são de puro animal em tesão! Tremo, as pernas ficam tão hirtas que até fico com cãibras, o meu cheiro a Mulher, a sexo invade o ar do quarto e cola-se a ti! Venho-me uma vez e peço-te por tudo que pares, não é isso eu não quero que pares mas sim que me soltes!

 

E tu meu animal, fazes de conta que não é nada contigo e continuas até eu ter mais dois, três, quatro orgasmos e estar completamente descontrolada, descontrolada a ponto de te matar! Descontrolada de fúria e prazer, de ódio e paixão, de te bater e foder!

 

Soltas-me finalmente e assim que me vejo livre a primeira coisa que faço é mandar-te deitar!

 

Obedeces, sorridente, com ar de filho da puta! Ainda por cima tens a lata de sorrires na minha cara!

 

Ato-te as mão e os pés! Sento-me em cima de ti e de violador passas a violado!

 

Fodeste-me! Agora fodo-te Eu!

 

Não, meu lindo, não me tocas! Isso querido, bem enterrado, bem fundo!

 

Agora espera que vou só acender a vela!

 

 

Não, Beleza, não te vou cantar os parabéns....

 

 

 

 

 

Cicuta Doce


publicado por Cicuta às 18:12
link do post | comentar | favorito
|
5 comentários:
De Crisálida a 8 de Junho de 2008 às 07:14
Adorei seu playlist... Uma música melhor que a outra. De todas, já estou ouvindo minha favorita: Habanera.

Muito bom seu blog! :-)


De Jo@nit@ a 10 de Junho de 2008 às 21:55
ApeNas uma palavra: FANTASTICO


De Cicuta a 10 de Junho de 2008 às 22:40
Ainda bem que gostou fico muito contente, embora seja uma reposição é um post que gostei muito de fazer. Beijo


De Cicuta a 10 de Junho de 2008 às 22:40
Ainda bem que gostou fico muito contente, embora seja uma reposição é um post que gostei muito de fazer. Beijo


De Cicuta a 10 de Junho de 2008 às 22:40
Ainda bem que gostou fico muito contente, embora seja uma reposição é um post que gostei muito de fazer. Beijo


Comentar post

*mais sobre mim

*pesquisar

 

*tradutor / tranlater

*posts recentes

* A noite

* Depois dos 50...

* A melodia do desejo…

* Lingerie para Sereias & n...

* Asfixia

* Oração das Mulheres Resol...

* Eternos

* O Primeiro Amor

* Voltar a trás...

* Sonhos?!

*arquivos

* Agosto 2013

* Maio 2011

* Abril 2011

* Agosto 2010

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2006

* Março 2006

* Fevereiro 2006

* Janeiro 2006

* Dezembro 2005

* Novembro 2005

* Outubro 2005

* Setembro 2005

* Agosto 2005

* Julho 2005

* Junho 2005

* Maio 2005

* Abril 2005

* Março 2005

* Fevereiro 2005

*tags

* todas as tags

*favoritos

* nem cornos, nem sacanas

*links

* Martini in the Morning

*Envenenados:


Contador Grátis

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.
blogs SAPO

*subscrever feeds