Domingo, 4 de Maio de 2008

O roupeiro...

 

 

Abri as portas do roupeiro, sentei-me na cama a olhar para lá.

 

A visão ficou turva e só via cores milhares de cores e no fundo o mar… Consegui sentir o cheiro das algas, ouvir o barulho das gaivotas, sentir a brisa...

 

Visualizei cada vestido, cada recordação.

 

O azul noite levou-me ao nosso 1º encontro, ao cheiro das velas, da rua, ao sabor do vinho e do teu beijo…

 

O verde água levou-me a uma festa em que dançámos toda a noite e nos esquecemos da hora de fechar… Levou-me ao sentir fora de mim, fora do meu corpo…

 

O preto e branco levou-me até casa dos teus pais, até a uma família, ao cheiro da cozinha caseira, da gargalhada fácil, até ao teu Mundo…

 

O rosa levou-me até ao passeio no parque, o molhar os pés no lago o meu sorrir perante a tua admiração pelo meu receio dos pássaros…

 

O vermelho levou-me até um jantar que não tivemos, por um desejo incontrolável, que terminou com  uma piza na cama…

 

O cai-cai branco com bolinhas levou-me até um fazer-amor diferente...

 

As calças de ganga levaram-me até à praia, ao cantinho escondido no pinhal, ao caminho por lajes, ao café para comprar choco frito e levar…

 

O que tu te riste de mim…

 

- “Ninguém compra choco frito para levar para a praia!” Dizias tu.

 

Todos os meus vestidos, roupa têm uma estória contigo…

 

Nunca pensamos nisso mas a nossa roupa acompanha-nos nas nossas aventuras!

 

Ahhhhhhhhhhhhhhhhh  e também me lembro de todas as ocasiões onde mos despiste!

 

O azul noite levou-me ao teu beijo, ao passar das tuas mãos pelo meu corpo…

 

O verde água levou-me ao barulho do fecho quando o abriste, ao deslizar do forro pelo meu corpo, ao teu olhar…

 

O preto e branco levou-me até uma mesa de família, e o teu roçar de pé, a tua mão a subir pelas minhas coxas, enfim ao nosso jantar de família

 

O rosa levou-me ao beijo roubado no parque das crianças, ao teu atirar de água para o vestido, ás minhas formas coladas no tecido rosa…

 

O vermelho levou-me aquela noite em que me beijaste,  rasgaste-o e despiste-mo como se o mundo fosse terminar ali, a uma noite de sexo tão rubro como a cor do vestido…

 

Aos teus beijos pelo meu corpo, ao passar da tua língua por mim… Ao gelo que me passaste no corpo, ao gelo com que nos amámos…

 

O cai-cai branco com bolinhas  levou-me até uma noite em casa, com champanhe, lenços de seda e muito splash de água pelo corpo....

 

As calças de ganga…Essas têm tanto que contar que ficará para outro dia….

 

 

Adormeci sorridente e molhada perante um simples armário…….

 

 

 

 

 

Cicuta

 

 

 

 Ps: Homens nunca se esqueçam do que a vossa Mulher vestia...Pode ser o caminho para uma tesão...

 

 

Estavas sexy com a ganga e o cabedal... Foi bom sentir-te...

 

 

E que lindo ficas com blazer e calça cinzenta... Ai... Até me esqueci que eras uma pessoa fina... já mandaste limpar as calças?!

 

 

Beijos no roupeiro... É bem divertido!

 

 

 

 

 

 

 Cicuta

 

 

 


publicado por Cicuta às 19:53
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

*mais sobre mim

*pesquisar

 

*tradutor / tranlater

*posts recentes

* O roupeiro...

*arquivos

* Agosto 2013

* Maio 2011

* Abril 2011

* Agosto 2010

* Julho 2008

* Junho 2008

* Maio 2008

* Abril 2006

* Março 2006

* Fevereiro 2006

* Janeiro 2006

* Dezembro 2005

* Novembro 2005

* Outubro 2005

* Setembro 2005

* Agosto 2005

* Julho 2005

* Junho 2005

* Maio 2005

* Abril 2005

* Março 2005

* Fevereiro 2005

*tags

* todas as tags

*favoritos

* nem cornos, nem sacanas

*links

* Martini in the Morning

*Envenenados:


Contador Grátis

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.
blogs SAPO

*subscrever feeds